Notebook CCE é Bom? Lista com os Melhores Modelos de 2020

O assunto de hoje são os melhores notebooks CCE. Porém, acreditamos que você possa ter dificuldades para encontrar novidades.

Hoje é o dia de falarmos sobre uma marca que faz parte da história de muitos Brasileiros.

Atualmente, a CCE não está em funcionamento e as atividades da empresa foram suspensas. A empresa, que tem várias décadas de história, foi vendida, devolvida e, agora, está com as portas fechadas, sem previsão de retorno.

Por isso, se você procura um modelo de notebook atual da marca, infelizmente não encontrará. Durante um breve período de tempo a CCE pertenceu à chinesa Lenovo. No entanto, voltou para o controle dos antigos donos e fechou as portas.

A qualidade dos produtos mais antigos, no entanto, permite que os notebooks ainda sejam úteis no dia a dia. Outro ponto importante é que eles são bastante procurados por colecionadores. Assim, a marca continua presente na vida de muita gente.

Escolher quais são os melhores equipamentos da marca, hoje, é uma tarefa difícil. Sem lançamentos, a empresa conta apenas com os modelos antigos no mercado, vendidos como usados. Logo, seria injusto usar uma lente atual para analisa-los.

A história da CCE

Para quem não sabe, Comércio de Componentes Eletrônicos era o significado da sigla CCE. A empresa brasileira foi fundada, em 1964, para importar e comercializar artigos e produtos eletrônicos de todos os tipos, ajudando na revolução tecnológica que passamos.

Com o passar do tempo, em 1971, a empresa evoluiu e decidiu embargar, também, a fabricação de equipamentos completos. Assim, o fundador Isaac Sverner conseguiu colocar a empresa no mapa das grandes do nosso país, por meio de muito trabalho.

A empresa começou a oferecer produtos de áudio diferenciados de seus concorrentes. A qualidade era um pouco inferior, mas isso permitia preços mais acessíveis. Logo, a marca caiu no gosto popular, se tornando a preferida entre aqueles que não tinham tanto dinheiro.

Ela não se limitou a copiar os equipamentos de outros fabricantes. Investiu e nacionalizou alguns projetos, trabalhando com diversos fornecedores estrangeiros. Entre 1996 e 2002, produziu equipamentos para a empresa japonesa Aiwa.

Em 2006 a empresa começou a produzir notebooks de baixo custo, mas com bom custo-benefício e desempenho elevado. Considerando sua ideia e filosofia empresarial, a ideia era tornar os produtos mais acessíveis. Assim, vários modelos foram lançados.

O começo do fim

Em 2012 a empresa enfrentava diversos problemas financeiros e na competição interna. Era um momento de transição, havia muitas outras empresas no mercado e a concorrência era alta. Foi nesse momento que a família Sverner decidiu vender a CCE.

A empresa chinesa, Lenovo, adquiriu a Digibrás, ramo da CCE voltado para informática, por R$700 milhões. A partir daí, os pontos positivos existentes nos melhores notebooks CCE passaram a integrar os modelos da Lenovo, que se apropriou das tecnologias.

A ideia e a evolução foram basicamente essas. Ao adquirir a CCE, a Lenovo buscou os melhores notebooks CCE e utilizou as tecnologias para aprimorar os seus produtos. Assim, a Lenovo rapidamente se tornou uma gigante na venda de notebooks.

O que aconteceu depois, no entanto, chegou a ser considerado, no mínimo, estranho. Com um contrato bem amarrado com a CCE, a Lenovo ainda pagava as parcelas que devia pela aquisição. Porém, propositalmente, deixou de arcar com os valores.

Assim, no ano de 2015, a Lenovo perdeu o controle sobre a marca CCE, que voltou a fazer parte do grupo Digibras, controlado pela família Sverner. O problema é que, aparentemente, a família não estava esperando que isso acontecesse.

Então, logo depois de retomar o controle da CCE, a família decidiu interromper as atividades. Não houve qualquer dica de que a família pudesse ter interesse em retomar as atividades que estavam sendo realizadas antes da venda ser realizada para a Lenovo.

Assim, até o momento não há informações de que a empresa volte a atuar em um futuro próximo. Ainda que a marca tenha mercado e esteja presente na cabeça de muitos brasileiros, a concorrência se tornou mais forte no ramo, criando dificuldades.

Peças e acessórios

Com longos anos de serviços prestados pela empresa, um legado permaneceu. Quem adquiriu algum dos melhores notebooks CCE, certamente não se arrependeu. Isso porque a empresa entregava qualidade, apesar dos custos menores.

Com isso, quem conta com um equipamento da empresa nos dias de hoje também pode contar com facilidade pra encontrar peças de reposição. Como a empresa era brasileira, o mercado conta com muitos produtos ainda.

Então, se você tem um notebook CCE ou pretende adquirir um, saiba que essa será uma preocupação a menos. O problema, no entanto, é que eles devem estar desatualizados e talvez seja difícil fazer funcionar programas atuais.

De qualquer maneira, saber que é possível contar com peças e acessórios de maneira mais tranquila, tende a facilitar as coisas. Na questão de manutenção, a CCE ganha até mesmo de algumas empresas maiores. Benefícios de quem tem anos de estrada.

Benefícios de contar com um notebook CCE

Dentre os diversos modelos de notebooks lançados pela CCE é possível destacar o HT345, Info 671, Win, W55 e Ultra Thin. Ainda que com preços mais acessíveis, os melhores notebooks CCE contavam com boa qualidade e durabilidade alta.

Assim, a empresa sempre ofereceu benefícios para seus usuários. Talvez por isso, tenha ficado no mercado por tanto tempo. Os benefícios de contar com um notebook da marca sempre foram:

  • Ótimo custo benefício;
  • Durabilidade;
  • Facilidade para manutenção;
  • Confiabilidade;
  • Segurança.

Estes benefícios sempre estiveram presentes em todos os segmentos em que a CCE trabalhou e suas atividades suspensas são uma má notícia para todos que gostam de tecnologia e conhecem a qualidade dos produtos que eram ofertados.

Com tudo isso, sabemos que a marca poderia ter uma vasta lista com os melhores notebooks CCE 2020. Isso, infelizmente, não aconteceu. Porém, espera-se que a marca possa voltar a ativa, a qualquer momento.

Notebook CCE é bom?

melhores notebooks CCE

Avaliar se um notebook CCE é bom, depois de muitos anos, pode ser um pouco injusto. Se analisarmos friamente as características técnicas, confrontando com a evolução tecnológica, a resposta seria não. Porém, ela estaria totalmente errada.

A Lenovo se utilizou do que havia nos melhores notebooks CCE para fazer evoluir e melhorar os seus próprios produtos. Com isso, a empresa se tornou uma das mais conhecidas no mundo e hoje fornece notebooks no país interior.

Então, podemos dizer que sim, um notebook CCE é bom. Porém, é preciso fazer a ressalva que, caso você procure por um, o encontrará desatualizado. Ou seja, precisará ter paciência para fazer upgrades e entender, caso não seja possível.

O hardware dos notebooks sempre contou com uma qualidade um pouco inferior a dos concorrentes, mas isso não significa que se tratava de um produto ruim. Esse era o preço a ser pago para oferecer produtos a preços populares.

Com isso, era mais fácil atingir a todas as camadas da sociedade, entregando qualidade e eficiência. O melhor notebook CCE, para muitos, foi a porta de entrada para o mundo digital. Assim, ajudou na revolução tecnológica ocorrida nos últimos anos no Brasil.

Agora que você já sabe da qualidade dos produtos da marca, talvez queira saber a resposta para uma outra pergunta. Sabemos que você está interessado em descobrir qual o melhor notebook da empresa em 2020. Mas você também já sabe que há más notícias.

Por isso, vamos ao tópico seguinte para poder esclarecer tudo da melhor maneira possível.

Qual o melhor notebook CCE 2020?

Como você viu, tudo que havia nos melhores notebooks CCE foi incorporado pela Lenovo, após a aquisição da empresa em 2012. Depois disso, nenhum novo modelo de notebook foi lançado com o selo CCE, o que dificulta encontrar melhores produtos.

Para 2020, a ideia é procurar por notebooks usados, que ainda podem estar em bom funcionamento. Com materiais de qualidade, é possível que, mesmo após alguns anos você encontre um equipamento funcionando normalmente e com bom desempenho.

Dificilmente será possível usar os novos sistemas operacionais. Por isso, uma versão anterior do Windows, ou o Linux, que é mais leve, devem ser consideradas por quem quer adquirir um modelo desses.

Para os colecionadores, que gostam dos clássicos, talvez seja possível encontrar produtos com o sistema original. O problema, nesses casos, é que os preços devem ser bastante salgados, diante da dificuldade de encontrar equipamentos assim.

A dica para quem procura pelos melhores notebooks CCE é ter paciência. Não será fácil encontra-los e, mesmo encontrando, será importante garimpar bem, para não ter problemas com a escolha.

Ressalte-se que a CCE não tem previsão de retorno às atividades e a família Sverner não se manifestou nesse sentido, desde que a empresa voltou ao seu controle.

Caso você tenha permanecido com alguma dúvida, recomendamos que você continue navegando pelo Melhor Notebook. No site você encontrará listas variadas sobre notebooks que estão no mercado, inclusive os da Lenovo.

Assim, esperamos que possamos ter esclarecido e sanado as dúvidas que você tinha quando chegou até aqui. Listar os melhores notebooks CCE 2020 não foi possível, porém, agora você já sabe tudo o que aconteceu com a empresa.

Deixe um comentário